Portal da Cidade Tucurui

Museu Virtual

Museus Histórico 3D inclusivo tem sua segunda etapa iniciada, em Tucuruí

Iniciou ontem (16) a 2ª etapa do projeto que tem por objetivo resgatar a história local, eternizando-a através de maquetes impressas em 3D.

Publicado em 17/11/2022 às 18:51
Atualizado em

(Foto: Todas: Divulgação)

Museus Histórico 3D inclusivo tem sua segunda etapa iniciada, em Tucuruí


O Museu Histórico 3D inclusivo trata-se de uma parceria entre o Núcleo Integrado de Pesquisa e Projetos de Engenharia (NIPE), o FABLAB/UFPA e alguns pesquisadores com o objetivo de realizar resgates históricos da Cidade de Tucuruí-Pará.

O projeto começou com a realização de estudos bibliográficos, etnográficos, para levantamento de informações que permitam a impressão de maquetes em 3D dos prédios históricos de Tucuruí e a resgatar a história que existe por trás de cada um.


Na tarde de ontem (16) a segunda etapa do Projeto Museu Histórico 3D Inclusivo foi iniciada através da 1ª roda de conversas com moradores da Tucuruí antiga, com intuito de colher informações sobre fatos relacionados a esses prédios históricos.


"Esses moradores vivenciaram um passado distante e que nos ajudarão a construir as maquetes físicas com riquezas de detalhes originais e também a contar essa história da cidade para as gerações futuras", informou Midson Cardoso, Engenheiro, Professor e Pesquisador do Instituto Federal do Pará, fundador do NIPE e coordenador do Projeto do Museu.

A primeira roda de conversa realizada na tarde de ontem foi um sucesso, a pauta tratada foi o Mercado Velho do Farol e a Estação Central de Trem de Tucuruí.


"Uma riqueza de detalhes contada por quem viveu: Goreth Bendelack, Seu Nhôvico (responsável pela manutenção da EFT) e o Ex-Vereador Manoel Alves, o KIT, tudo referenciado pela pesquisa, da qual participam ativamente os pesquisadores Osvaldo Araújo (Historiador e Jornalista), Daniel Fernandez (Prof. Dr. Pesquisador/Antropólogo/COLINS/UFPA), Terlys Silva (Engenheiro Civil, Mestre e Professor/NIPE/IFPA), Ana Flávia Paiva (Historiadora, Mestra e Professora/NIPE/IFPA), Carlos Eduardo Barbosa (Historiador/Mestre e Professor/SEDUC), Rafael Suzuki Bayma (Prof. Dr. Pesquisador/FABLAB/UFPA), Edmilson Maciel (Escritor), Wanderlan Montão (Professor/SEDUC) e Bernardino da Costa e Silva (Mestre em Arq. & Urbanismo, Museólogo, Turismólogo com experiência em Patrimônio Cultural, professor/IFPA/Belém). Além disso, os alunos maravilhosos de edificações, saneamento e da engenharia do nosso campus de Tucuruí estiveram presentes. Vamos avançar!", informou Midson.


Para Rafael Bayma, esse é um projeto que mostra o potencial da academia e que integra conhecimento através da tecnologia e inovação voltados para as necessidades da sociedade.

O projeto pretende resgatar a história desde a influência de africanos escravizados e da presença indígena em nossa região, passando por períodos importantes como o surgimento da Vila de São Pedro do Alcobaça, emancipação de Tucuruí como município em 1943, os ciclos da Castanha, da Borracha, Estrada de Ferro, das grandes obras que movimentaram a cidade nas décadas mais recentes até chegar aos dias atuais, onde predomina a presença universitária.


Após a conclusão, os objetos, depoimentos e documentos adquiridos com as pesquisas e as maquetes impressas em 3D, ficarão em exposição em um espaço permanente onde a história será contada em textos, vídeos, Libras e Braille para que as pessoas surdas e cegas também tenham acesso a essas informações históricas.

Fonte:

Receba as notícias de Tucuruí no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário